Coordenação Nacional em Defesa da Educação Pública e Gratuita divulga nota

mesa_fim02A Coordenação Nacional em Defesa da Educação Pública e Gratuita, que organiza os Encontros Nacionais de Educação (ENE), e da qual o ANDES-SN faz parte, se reuniu em São Paulo (SP) no dia 16 de fevereiro e divulgou uma nota sobre a situação dos ataques à educação pública. A Coordenação debateu as ações para a construção do III ENE, previsto para 2018. Continuar lendo

Entidades organizam Frente Nacional contra projeto “Escola Sem Partido”

Lançamento será nesta quarta-feira (13), no Rio de Janeiro

Entre as tantas ameaças aos direitos sociais que tramitam no Congresso Nacional, está o Projeto de Lei 867/2015, que propõe a inclusão, nas diretrizes e bases da Educação brasileira, do programa “Escola Sem Partido”. Com o objetivo de intensificar a luta contra esse projeto e outros que tenham a mesma finalidade, centenas de entidades sindicais e movimentos sociais se uniram para formar a Frente Nacional contra o projeto “Escola Sem Partido”. A frente será lançada nesta quarta-feira (13), a partir das 9h30, no Instituto de Filosofia e Ciências Sociais (IFCS) da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Continuar lendo

“Exigimos a educação pública que nos foi tirada”, diz estudante chileno

IMG_2663José Villarroel é estudante de sociologia da Universidade Alberto Hurtado, uma instituição particular chilena. Ele participou da mesa de abertura do II Encontro Nacional de Educação (ENE), em Brasília (DF), no dia 16 de junho, que teve como tema “Por um projeto classista e democrático de educação, contra o Ajuste Fiscal e a dívida pública”. Após os debates, ele foi entrevistado, e explicou qual a situação da educação no Chile, e como estão as lutas multitudinárias em defesa da educação gratuita universal no país latino-americano. A última manifestação, em 23 de junho, levou, novamente, milhares de estudantes às ruas de Santiago, capital do país.

Continuar lendo

2º ENE tem participação expressiva de assistentes sociais e estudantes de Serviço Social

Para resistir aos ataques à Educação, somente com muita luta coletiva

Foto mostra manifestantes a caminho do Ministério da Educação

Quase três mil pessoas estiveram na marcha “Em defesa da Educação”(Foto: Rafael Werkema) 

Uma educação, em todos os níveis de formação, que seja pública, gratuita, democrática e de qualidade, e que seja acessível para toda população. Uma educação que dê a perspectiva de classe. Uma educação que seja emancipadora. Uma educação capaz de forjar pensamentos e ações que vislumbrem e construam um outro tipo de sociedade, que seja justa e igualitária.

Continuar lendo